Vamos Adorar a Deus em Espirito e em Verdade?

 

"E cantavam em alta voz: 'Digno é o Cordeiro que foi morto de receber poder, riqueza, sabedoria, força, honra, glória e louvor!'" (Apocalipse 5:12)

Existem algumas palavras na Bíblia que são traduzidas como "adoração". A mais frequentemente delas significa "curvar-se e fazer uma homenagem." A outra palavra bíblica mais usada para adoração significa: "beijar em direção a." Coloque essas duas palavras juntas e você terá uma boa ideia do que é a verdadeira adoração.

Adoramos a Deus porque Ele é digno.

Ao fazermos isso, curvamo-nos e prestamos-Lhe homenagem.

Isso mostra reverência e respeito por Deus.

Mas nós também "beijamos em direção a" Ele - o que mostra carinho e intimidade com Ele.

Devemos aprender tudo o que pudermos sobre adoração, pois ela será uma das principais atividades no paraíso.

E Jesus deixou claro que existe um jeito certo e um jeito errado de adorar.

Há a verdadeira adoração e a falsa adoração.

A maioria dos fariseus, que pensavam ser peritos em adoração, nem chegou perto.

Jesus disse-lhes: “Este povo me honra com os lábios, mas o seu coração está longe de mim”.

“Em vão me adoram; seus ensinamentos não passam de regras ensinadas por homens.” (Mateus 15:8-9).

Algumas pessoas são muito irreverentes e informais com Deus.

Elas parecem pensar nEle como seu Amigão celestial e se aproximam dele mais ou menos dessa forma em oração: - "E aí, Senhor, como é que você tá?" Outros reconhecem Deus como santo e todo-poderoso e podem até tremer diante dele, sem perceber que Deus quer ser conhecido de uma maneira íntima e pessoal.

Temos que reverenciar a Deus.

Devemos honrá-Lo.

Mas também devemos abraça-Lo com intimidade.

Devemos comprometer os nossos corações com Ele, sem hipocrisia.

É isso que é a verdadeira adoração.

Agora eu te pergunto você estava adorado a Deus de Verdade?

Se não estava comece hoje mesmo e verá a sua vida em nome de Jesus.  

Igreja Casa de Oração Essência de Deus

Centenas de Pessoas tem conseguindo suas Vitorias depois que colocou os seus nomes no Livro de Oração na Essência de Deus.

E-mail: deus_quete_ouvir@hotmail.com / essencia_de_deus2012@hotmail.com

Apostolo Nilson Carvalho

End:  Rua F Quadra G Bairro Fonte das Águas - Arembepe /  Ao lado do Salão Gal + 10 Camaçari

 

Exibições: 48

Comentar

Você precisa ser um membro de Palavra Online para adicionar comentários!

Entrar em Palavra Online

Comentário de Anselmo Estevan em 5 julho 2013 às 6:28
Comentário de Anselmo Estevan em 4 julho 2013 às 19:41

Estudando o Texto dentro de seu contexto somente:

Comentário de Anselmo Estevan em 4 julho 2013 às 19:41

Tehillhim 34:

34
1 Davi louva a Deus e exorta, por experiência própria, outros a fazerem o mesmo.
8 Os que confiam em Deus são abençoados.
11 Davi exorta a temer a Deus.
15 Os privilégios dos justos.
2942 A.M.; 1062 a.C. (Título). Abimeleque. ou, Aquis. Este é o segundo dos salmos alfabéticos (o Sl 25 é o primeiro). Cada versículo começa, seqüencialmente, com uma letra do alfabeto hebraico. Porém, o versículo que deveria começar com ו, wav, e que estaria entre o quinto e o sexto versículos, está faltando. No entanto, como o versículo 22 que começa com פ, pê], pay, podeh, “resgata,” está totalmente fora de ordem, é provável que originalmente tivesse a grafia oophodeh, “e resgata”, ocupando a lacuna mencionada entre o quinto e o sexto versículo. Desta maneira, seqüência fica perfeita. Gn 20.2; Gn 26.1; 1Sm 21.13-15; Pv 29.25
1 Veja Sl 71.8,14,15; 145.1,2; Is 24.15,16; At 5.41; At 16.25; Ef 5.20; Cl 3.17; 1Ts 5.18; 2Ts 1.3; 2Ts 2.13
2 Gloriar-se-á no Senhor. 44.8; 105.3; Is 45.25; Jr 9.24; 1Co 1.31; 2Co 10.17 os humildes. 22.22-24; 32.5,6; 119.74; 142.7; 1Tm 1.15,16
3 Engrandecei. 35.27; 40.16; 69.30; Lc 1.46; At 19.17; Fp 1.20 lhe exaltemos. 33.1,2; 66.8; 103.20-22; 148.1-14; 1Cr 29.20; 2Cr 29.30; Ap 14.7; Ap 19.5,6
4 Busquei o Senhor. 18.6; 22.24; 31.22; 77.1,2; 116.1-6; Jn 2.2; Mt 7.7; Lc 11.9; 2Co 12.8,9; Hb 5.7 livrou-me de todos. 27.1,2; 46.2; 56.3; 1Sm 27.1; Is 12.2; 2Co 7.5,6; 2Tm 1.7
5 Contemplai-o. 123.1,2; Is 45.22; Hb 12.2 sereis iluminados. 13.3; 18.28; 97.11; Et 8.16 iluminados. ou, inundados para ele. e o vosso rosto. 83.16; 2Sm 19.5
6 Clamou este aflito. 3.4; 10.17; 40.17; 66.16-20 e o livrou. 17-19; Gn 48.16; 2Sm 22.1; Ap 7.14-17
7 O anjo do Senhor. 91.11; 2Rs 6.17; 2Rs 19.35; Dn 6.22; Mt 18.10; Lc 16.22; Hb 1.14 acampa-se. Gn 32.1,2; Zc 9.8
8 Provai. 63.5; 119.103; Ct 2.3; Ct 5.1; Hb 6.4,5; 1Pe 2.2,3; 1Jo 1.1-3 que o Senhor é bom. 36.7,10; 52.1; Jr 31.14; Zc 9.17; 1Jo 4.7-10 bem-aventurado. 2.12; 84.12
9 Temei o Senhor. 22.23; 31.23; 89.7; Gn 22.12; Is 8.13,14; Os 3.5; Ap 15.3,4 pois nada falta. 23.1; Lc 12.30-32; Rm 8.32; 1Co 3.22,23; Fp 4.19
10 Os leõezinhos. 104.21; Jó 4.10,11; Lc 1.51-53 porém aos que buscam. 84.11; Mt 6.32
11 Vinde. Pv 4.1; Pv 7.24; Pv 8.17,32; Pv 22.6; Ec 11.9,10; Ec 12.1; Is 28.9; Mt 18.2-4; Mc 10.14-16; Jo 13.33; 2Tm 3.15 eu vos ensinarei. 32.8; 111.10; Pv 1.7; Pv 2.1-9
12 Quem é o homem que ama. 21.4; 91.16; Dt 6.2; Dt 30.20; 1Pe 3.10,11 para ver o bem. 4.6; Jó 7.7; Ec 2.3; Ec 12.13
13 Refreia a língua. 39.1; Pv 18.21; Mt 12.35-37; Tg 1.19,26; Tg 3.2,5-10 falarem dolosamente. 55.11; Pv 12.7,19,22; Pv 19.9; Is 63.8; Cl 3.9; 1Pe 2.1,22; Ap 14.4,5
14 Aparta-te do mal. 37.27; Jó 28.28; Pv 3.7; Pv 8.13; Pv 13.14; Pv 16.16,17; Is 1.16,17; Rm 12.9; 2Tm 2.19; 1Pe 3.11 e pratica o que é bom. At 10.38; Gl 6.10; Tt 2.14; Hb 13.16; 3Jo 11 procura a paz. 120.7; Mt 5.9; Rm 12.18; Rm 14.17; 2Co 13.11; 1Ts 4.11; Hb 12.14; Tg 3.17,18
15 Os olhos do Senhor. 33.18; Jó 36.7; 1Pe 3.12 e os seus ouvidos. 6,17; 130.2; 2Cr 6.40; Is 37.14-21; Dn 9.17-23
16 O rosto do Senhor. Lv 17.10; Lv 26.17; Jr 44.11; Ez 14.7,8; Am 9.4 para lhes extirpar. 10.16; Jó 18.17; Pv 10.7; Ec 8.10; Jr 17.13
17 Clamam. 6,15,19; 91.15; 145.18-20; 2Cr 32.20,21,24; Is 65.24; At 12.5-11 os justos. No texto hebraico não há palavra para “justos.” Mas o termo é preservado em todas as versões. Provavelmente ele foi perdido devido à sua semelhança com tzâäkoo, “eles clamam,” — tzâäkoo tazddeekim: “Os justos clamam.”
18 Perto está. 75.1; 85.9; 119.151; 145.18; Is 55.6 dos que, etc. Heb. quebrantados de coração. 51.17; 147.3; Is 61.1; Lc 4.18 e salva, etc. Heb. os contritos de espírito. 2Rs 22.19; Is 57.15; Is 66.2; Ez 36.26,31
19 Muitas são as aflições. 71.20; Jó 5.19; Jó 30.9-31; Jó 42.12; Pv 24.16; Jo 16.33; At 14.22; 2Co 4.7-12,17; 2Co 11.23-27; 1Ts 3.3,4; 2Tm 3.11,12; Hb 11.33-38; Tg 5.10,11; 1Pe 4.12,13; Ap 7.14-17 mas o Senhor. 6,17
20 35.10; 91.12; Dn 6.22-24; Jo 19.36
21 O infortúnio matará. 37.30-40; 94.23; Is 3.11 e os que odeiam o justo. 37.12-15; 40.15; 89.23; 1Sm 19.4,5; 1Sm 31.4; 1Rs 22.8,37; Lc 19.14,27; Lc 19.41-44; Jo 7.7; Jo 15.18-23; 1Ts 2.15,16; 2Ts 1.6,9 condenados. ou, culpados. Êx 20.7
22 O Senhor resgata. 31.5; 71.23; 103.4; 130.8; Gn 48.16; 2Sm 4.9; 1Rs 1.29; Lm 3.58; 1Pe 1.18,19; Ap 5.9 nenhum será condenado. 9.9,10; 84.11,12; Jo 10.27-29; Rm 8.31-39; 1Pe 1.5
A.M. Ano do Mundo
O número do ano desde a criação em 23 de outubro de 4004 a.C., de acordo com Ussher (Essa data é o dia do primeiro domingo após o equinócio de outono naquele ano). Note que o ano do mundo pula dois anos julianos, aproximadamente três meses de um ano e os nove meses seguintes do ano juliano seguinte.
a.C. antes de Cristo
etc etcétera (e outras coisas mais)
Heb. Hebraico
Sociedade Bíblica do Brasil: Concordância Exaustiva Do Conhecimento Bíblico. Sociedade Bíblica do Brasil, 2002; 2005, S. Sl 34:1-22
Comentário de Anselmo Estevan em 4 julho 2013 às 19:40

Tehillim Louvores (Salmos) 34:

34
Provai que o Senhor é bom! a
 Salmo de Davi, quando se fingiu amalucado na presença de Abimeleque b  e, por este expulso, ele se foi
1 Bendirei o Senhor em todo o tempo,
 o seu louvor estará sempre nos meus lábios.
2 Gloriar-se-á no Senhor a minha alma;
 os humildes o ouvirão e se alegrarão.
3 Engrandecei o Senhor comigo,
 e todos, à uma, lhe exaltemos o nome.
4 Busquei o Senhor, e ele me acolheu;
 livrou-me de todos os meus temores.
5 Contemplai-o e sereis iluminados,
 e o vosso rosto jamais sofrerá vexame.
6 Clamou este aflito, e o Senhor o ouviu
 e o livrou de todas as suas tribulações.
7 O anjo do Senhor c  acampa-se
 ao redor dos que o temem e os livra.
8 Oh! Provai e vede que o Senhor é bom; d
 bem-aventurado o homem que nele se refugia.
9 Temei o Senhor, vós os seus santos,
 pois nada falta aos que o temem.
10 Os leõezinhos e  sofrem necessidade e passam fome,
 porém aos que buscam o Senhor bem nenhum lhes faltará.
11 Vinde, filhos, e escutai-me;
 eu vos ensinarei o temor do Senhor.
12 Quem é o homem que ama a vida
 e quer longevidade para ver o bem?
13 Refreia a língua do mal
 e os lábios de falarem dolosamente.
14 Aparta-te do mal e pratica o que é bom;
 procura a paz e empenha-te por alcançá-la.
15 Os olhos do Senhor repousam sobre os justos,
 e os seus ouvidos estão abertos ao seu clamor.
16 O rosto do Senhor está contra os que praticam o mal,
 para lhes extirpar da terra a memória. f
17 Clamam os justos, e o Senhor os escuta
 e os livra de todas as suas tribulações.
18 Perto está o Senhor dos que têm o coração quebrantado
 e salva os de espírito oprimido.
19 Muitas são as aflições do justo,
 mas o Senhor de todas o livra. g
20 Preserva-lhe todos os ossos,
 nem um deles sequer será quebrado. h
21 O infortúnio matará o ímpio,
 e os que odeiam o justo serão condenados.
22 O Senhor resgata a alma dos seus servos,
 e dos que nele confiam nenhum será condenado.

a a 34 Salmo “acróstico”. A primeira parte (vs. 1-10) é um cântico de ações de graças ao Senhor, que ouve o clamor dos aflitos (v. 6). A segunda (vs. 11-22) é uma lição de sabedoria: aquele que deseja ser feliz deve temer ao Senhor, porque ele retribui com justiça a bons e maus. Ver a Introdução aos Salmos.
b b 34 Cf. 1Sm 21.10-15.
c c 34.7 O anjo do Senhor: Lit. O mensageiro do Senhor. Nos textos bíblicos mais antigos (cf. Gn 16.7; Êx 14.19), o anjo do Senhor não é um ser distinto de Deus, mas Deus mesmo, que se manifesta e faz com que os seres humanos experimentem a sua presença de maneira sensível. Aqui, ao contrário, a expressão designa um membro dos “exércitos celestiais” (ver Sl 103.20, n.), enviado por Deus com a tarefa de executar as suas ordens e proteger os seus fiéis. Cf. Sl 35.5.
d d 34.8 Mt 19.17; 1Pe 2.3.
e e 34.10 Os leõezinhos: Segundo o texto hebraico; a versão grega (LXX): os ricos.
f f 34.12-16 1Pe 3.10-12.
g g 34.19 Sl 18.16-19; 34.4; 91.3-4; Cf. 2Co 1.8-10; 2Tm 3.10-12.
h h 34.20 Jo 19.36.
Sociedade Bíblica do Brasil: Bíblia De Estudo Almeida Revista E Atualizada. Sociedade Bíblica do Brasil, 1999; 2005, S. Sl 34:22
Vamos desmembrar o versículo 7:
7 O anjo do Senhor. 91.11; 2Rs 6.17; 2Rs 19.35; Dn 6.22; Mt 18.10; Lc 16.22; Hb 1.14 acampa-se. Gn 32.1,2; Zc 9.8
Sociedade Bíblica do Brasil: Concordância Exaustiva Do Conhecimento Bíblico. Sociedade Bíblica do Brasil, 2002; 2005, S. Sl 34:6-7
As referências logo acima, devem ser seguidas! Caso contrário nunca se saberá qual é a Palavra de Yahveh! Mas a do homem natural!!!!!! Pois as Escrituras falam por si somente:  Mt 18.10; Lc 16.22; Hb 1.14 o Antigo Testamento - Revelado no Novo Testamento!
Mattityahu (Mt) 18:
A parábola da ovelha perdida
Lc 15.3-7
10 Vede, não desprezeis a qualquer destes pequeninos; porque eu vos afirmo que os seus anjos nos céus vêem incessantemente a face de meu Pai celeste. g

g g 18.10 No Judaísmo, dizia-se que somente os anjos da mais alta categoria podem ver o rosto de Deus. Jesus assinala que aos pequeninos é dado o privilégio de terem como protetores esses anjos. Sobre os anjos, ver a Concordância Temática.
Sociedade Bíblica do Brasil: Bíblia De Estudo Almeida Revista E Atualizada. Sociedade Bíblica do Brasil, 1999; 2005, S. Mt 18:10
Lucas 16:
O rico e o mendigo
19 Ora, havia certo homem rico que se vestia de púrpura m  e de linho finíssimo e que, todos os dias, se regalava esplendidamente.
20 Havia também certo mendigo, chamado Lázaro, coberto de chagas, que jazia à porta daquele;
21 e desejava alimentar-se das migalhas que caíam da mesa do rico; e até os cães n  vinham lamber-lhe as úlceras.
22 Aconteceu morrer o mendigo e ser levado pelos anjos para o seio de Abraão; o  morreu também o rico e foi sepultado.

m m 16.19 Se vestia de púrpura, isto é, vestimenta tingida de roxo, que reis e potentados vestiam.
n n 16.21 Os cães: Animais considerados pelos judeus como desprezíveis e impuros (Sl 22.16,20; Pv 26.11; Mt 7.6); o cúmulo dos males para Lázaro era não poder defender-se deles.
o o 16.22 Para o seio de Abraão: Expressão que indica o lugar de preferência (ver Jo 13.23, nota s). Notar o contraste com os vs. 19-21.
Sociedade Bíblica do Brasil: Bíblia De Estudo Almeida Revista E Atualizada. Sociedade Bíblica do Brasil, 1999; 2005, S. Lc 16:22
Hb 1:
14 Não são todos eles espíritos ministradores, s  enviados para serviço a favor dos que hão de herdar a salvação? t

s s 1.14 Espíritos ministradores: Isto é, espíritos a serviço de Deus; cf. Sl 34.7; 91.11; Mt 4.11; Lc 1.19.
t t 1.14 Salvação: O autor volta a este tema em Hb 2.3-4,10,14-18; 5.9 e trata da obra salvadora de Jesus especialmente nos caps. 7—10.
Sociedade Bíblica do Brasil: Bíblia De Estudo Almeida Revista E Atualizada. Sociedade Bíblica do Brasil, 1999; 2005, S. Hb 1:14
Comentário de Anselmo Estevan em 4 julho 2013 às 19:32
Comentário de Anselmo Estevan em 4 julho 2013 às 19:23

Querido irmão, desculpas por ocupar a sua linda postagem! Quero lhe dar os parabéns! E olha que quem lhe fala sabe do que fala! Então, nada contra a sua postagem ok! Adorei a mesma. E, só quero colaborar com a Palavra de YahvehShua somente ok! Abraços......!!!!!!

"VISITE MEUS BLOGS E SITE"!

http://estudosdaescritura.blogspot.com/

http://anselmo-estevan.blogspot.com/

http://anselmo-r.webnode.com/

http://estudosdaescritura.blogspot.com.br/2013/02/irmao-anselmo-fal...

Irmão, Anselmo. Fale sobre você e seus ESTUDOS.....:

A AÇÃO DO RÚKHA hol-RODSHUA (Ruarh Há' Kodesch = Espírito, o "Santo"!): no At e Nt:

Gn 1,2; 6,3; 41,38; Êx 31,3; 35,31; Nm 11,17; 11,25; 11,26; 11,29; 24,2; 27,18; Jz 3,10; 6,34; 11,29; 13,25; 14,6; 14,19; 15,14; 1Sm 10,6; 10,10; 11,6; 16,13; 16,14; 19,20; 19,23; 2Sm 23,2; 1Rs 18,12; 22,24; 2Rs 2,16; 1Cr 12,18; 2Cr 15,1; 18,24; 20,14; 24,20; Ed 5,1; Ne 9,30; Jó 33,4; Sl 51,11; 104,30; 106,33; 139,7; 143,10; Is 4,4; 11,2; 32,15; 34,16; 40,13; 42,1; 44,3; 48,16; 59,19; 59,21; 61,1; 63,11; 63,14; Ez 2,2; 3,12; 3,14; 3,24; 8,3; 11,1; 11,5; 11,24; 36,27; 37,1; 37,14; 39,29; 43,5; Jl 2,28; 2,29; Mq 2,7; 3,8; Ag 2,5; Zc 4,6; 6,8; 7,12; Mt 1,18; 1,20; 3,11; 3,16; 4,1; 10,20; 12,18; 12,28; 12,31; 12,32; 22,43; 28,19; Mc 1,18; 1,10; 1,12; 3,29; 12,36; 13,11; Lc 1,15; 1,35; 1,41; 1,67;

2,25; 2,26; 2,27; 3,16; 3,22; 4,1; 4,14; 4,18; 10,21; 11,13; 12,10; 12,12; Jo 1,32; 1,33; 3,5; 3,6; 3,8; 3,34; 7,39; 14,17; 14,26; 15,26; 16,13; 20,22; At 1,2; 1,5; 1,8; 1,16;2,4; 2,14; 2,18; 2,33; 2,38; 4,8; 4,25; 4,31; 5,3; 5,9; 5,32; 6,3; 6,5; 6,10; 7,51; 7,55; 8,15; 8,17; 8,18; 8,19; 8,29; 8,39; 9,17; 9,31; 10,19; 10,38; 10,44; 10,45; 10,47; 11,12; 11,15; 11,16; 11,24; 11,28; 13,2; 13,4; 13,9; 13,52; 15,8; 15,28; 16,6; 16,7;19,2; 19,6; 20,23; 20,28; 21,4; 21,11; 28,25; Rm 5,5; 8,2; 8,4; 8,5; 8,6; 8,9; 8,11; 8,13; 8,14; 8,16; 8,23; 8,26; 9,1; 14,17; 15,13; 15,16; 15,19; 15,30; 1Co 2,4; 2,10; 2,11; 2,12; 2,13; 2,14; 3,16; 6,11; 6,19; 7,40; 12,3; 12,4; 12,7; 12,8; 12,9; 12,11; 12,13; 2Co 1,22; 3,3; 3,8; 3,17; 3,18; 5,5; 6,6; 13,13; Gl 3,2; 3,3; 3,5; 3,14; 4,6; 4,29; 5,5; 5,16; 5,17; 5,18; 5,22; 5,25; 6,8; Ef 1,13; 2,18; 2,22; 3,5; 3,16; 4,3; 4,4; 4,30; 5,18; 6,17; 6,18; Fp 1,19; 2,1; 3,3; Cl 1,8; 1Ts 1,5; 1,6; 4,8; 5,19; 2Ts 2,13; 1Tm 4,1; 2Tm 1,14; Tt 3,5; Hb 2,4; 3,7; 6,4; 9,8; 9,14; 10,15; 10,29; Tg 4,5; 1Pe 1,2; 1,11; 1,12; 4,14; 2Pe 1,21; 1Jo 3,24; 4,2; 4,13; 5,6; 5,7; 5,8; Jd 19; 20; Ap 1,4; 2,7; 2,11; 2,17; 2,29; 3,6; 3,13; 3,22; 14,13; 22,17! (O RÚKHA DE YHVH NO ANTIGO E NOVO TESTAMENTO):
Comentário de Anselmo Estevan em 4 julho 2013 às 19:18

Lechom ha kodesh língua sagrada - tanakh ESCRITURA = O ANTIGO TESTA...

O SIGNIFICADO DESSAS PALAVRAS:

O QUE SIGNIFICA: “B’RIT HADASHAH? TANAKH? TORAH?”:


B’rit Há-da-shah. Nova aliança, novo testamento. O termo é usado na introdução, mas não no corpo do texto do Novo Testamento Judaico. {Entretanto a nova aliança é mencionada em Mt 26,28; Mc 14,24; Lc 22,20; 1Co 11,25; Gl 4,25; e por todo o texto de Jm 7,22 – 10,31, bem como no tanakh em YirmeYahu [Jr] 31,30-33[31-34]}.

Ta-nakh. Acrônimo das letras iniciais das três partes da Bíblia hebraica: Torah {“Ensino”, os primeiros cinco livros de Mosheh, ou Pentateuco: B’reshit (Gênesis) Sh’mot (Êxodo), Vayikra (Levíticos), B’midbar (Números) e D’varim (Deuteronômio), Nevi’im (“Profetas”), os livros históricos Y’hoshua (Josué), Shof’tim (Juízes) Sh’um’el (Samuel) M’lakhim (Reis), os três profetas maiores: Yesha’Yahu (Isaías), YirmeYahu (Jeremias), Yechezk’el (Ezequiel) e os doze profetas menores, e K’tuvim (“Escritos”), Telhilim (Salmos), Mishlei (Provérbios), Iyov (Jó), as cinco megillot (rolos) – Shir Hashirim (Cântico dos Cânticos), Rut (Rute), Ester, Eikhah (Lamentações) Kohelet (Eclesiastes) -, Dani’el (Daniel), ‘Ezra – NechemYah (Esdras – Neemias) e Divrei Hayamim (Crônicas)}.
Ou seja, o Antigo Testamento. Na maior parte das traduções, a expressão é traduzida por “Escritura” ou “está escrito”. A razão pela qual os escritos do Novo Testamento citam o Tanakh com tanta frequência é o fato de considera-la palavra divina, detentora de autoridade, para todos os homens (Mt 4,4).

To-rah, Literalmente, “ensino”, mas comumente traduzida por “Lei” porque os gregos usaram nomos para verter torah. 1. Os cinco livros de Mosheh, o Pentateuco, chamados Torah Shebikhtav (“Torá Escrita”) [Mt 5,17], 2. A primeira, acrescida de Nevi’im [Profetas] e K’vim [Escritos], isto é, todo o Tanak. 3. A segunda, com material adicional, chamada Torah Sheb’at-peh (“Torah Oral”), e considerada em diferentes níveis detentora de autoridade no judaísmo (Gl 5,3), 4. A palavra torah com inicial minúscula pode ser entendida de forma genérica como “lei” ou “princípio” (Rm 7,21ss).

To-rah. Mestre da. Essa expressão é a tradução da palavra grega grammateus, que corresponde ao hebraico sofer (pl. sofrim), geralmente vertida como “escriba”. Aparentemente os escribas da Torah (Mt 2,4).

Bíblia de Estudo pesquisada: Bíblia Judaica Completa (Tanakh [AT] e a B’rit Hadashah [NT]. Autor: David H. Stern).

40 Obtida a permissão, Paulo, em pé na escada, fez com a mão sinal ao povo. Fez-se grande silêncio, e ele falou em língua hebraica, dizendo: v
40 em. 35; 2Rs 9.13 e fez com a mão sinal. 12.17; 13.16; 19.33 grande. 22.2 hebraica. 6.1;26.14; Lc 23.38; Jo 5.2; Jo 19.13,17,20; Ap 9.11; Ap 16.16
ESSAS FALAS SÃO DE ATOS 21,40: ONDE A LÍNGUA HEBRAICA É CONSIDERADA SAGRADA!
OBSERVEMOS AGORA, A FALA DE ATOS 26,14-15:
14 E, caindo todos nós por terra, ouvi uma voz que me falava em língua hebraica: g Saulo, Saulo, por que me persegues? Dura coisa é recalcitrares contra os aguilhões. h
15 Então, eu perguntei: Quem és tu, Senhor? i Ao que o Senhor respondeu: Eu sou Jesus, a quem tu persegues.
VAMOS REVER SEUS ESTUDOS:
g g 26.14 Língua hebraica: Provavelmente o aramaico ou, melhor, o hebraico mesmo, por ser considerado língua sagrada (At 21.40, n.).
h h 26.14 Recalcitrares contra os aguilhões: Expressão proverbial da época, baseada na imagem de um boi que dá coices contra a própria aguilhada com que o boiadeiro o domina.
BEM, SE A FALA É EM HEBRAICO! E É A FALA DO FILHO EM LÍNGUA SAGRADA À SHA’UL...! NÃO PODE SE REFERIR AO SEU PRÓPRIO NOME SENDO O NOME (JESUS) POR QUE? PORQUE NO HEBRAICO E PRINCIPALMENTE NAQUELA ÉPOCA E ATÉ HOJE, A LETRA (JOTA) NÃO EXISTE NO GREGO, HEBRAICO...! CONFIRA OS ESTUDOS LOGO ABAIXO!
HEBRAICO
Língua em que foi escrito o AT, fora alguns poucos trechos que foram escritos emARAMAICO (Jo 19.20). Em Jo 5.2, 19.13,17 e 20.16 a palavra HEBRAICO quer dizerARAMAICO, e o mesmo pode-se dizer provavelmente de At 21.40, 22.2 e 26.14.
ARAMAICO
Grupo de dialetos intimamente relacionados com o HEBRAICO e falados na Terra de Israel e em outros países do mundo bíblico (2Rs 18.26, RA). Estão escritos em aramaico os seguintes textos bíblicos: Ed 4.8—6.18; 7.12-26; Dn 2.4—7.28 e Jr 10.11.
< !--[if !supportFootnotes]-->

< !--[endif]-->
v v 21.40 Em língua hebraica: A expressão incluía também o aramaico, idioma parecido com o hebraico e falado pelos judeus da Palestina; aqui, pode, no entanto, referir-se propriamente ao hebraico, já que este era usado como língua litúrgica e, segundo parece, persistia ainda como língua familiar no Sul da Palestina.
<!--[if !supportFootnotes]-->[1]<!--[endif]-->Sociedade Bíblica do Brasil: Bíblia De Estudo Almeida Revista E Atualizada. Sociedade Bíblica do Brasil, 1999; 2005, S. At 21:40
<!--[if !supportFootnotes]-->[2]<!--[endif]-->Sociedade Bíblica do Brasil: Concordância Exaustiva Do Conhecimento Bíblico. Sociedade Bíblica do Brasil, 2002; 2005, S. At 21:39-40
AT Antigo Testamento
<!--[if !supportFootnotes]-->[3]<!--[endif]-->Kaschel, Werner ; Zimmer, Rudi: Dicionário Da Bíblia De Almeida 2ª Ed. Sociedade Bíblica do Brasil, 1999; 2005
RA Almeida Revista e Atualizada
<!--[if !supportFootnotes]-->[4]<!--[endif]-->Kaschel, Werner ; Zimmer, Rudi: Dicionário Da Bíblia De Almeida 2ª Ed. Sociedade Bíblica do Brasil, 1999; 2005


Shalom a todos os que buscam a emet.

Em Atos 26: 14 Shaul falando sobre sua conversão disse que ouviu uma voz que do alto em língua hebraica lhe falava. No versículo 15, ele disse que ao interrogar sobre quem lhe falava ouviu um nome. Muito bem: Para que esse nome possa ter sido "Jesus", o cristianismo jesuíta vai ter que provar a existência da letra "J" no hebraico. Também, vai ter que esclarecer o significado da palavra "sus" nessa língua, e, dizer se o filho do Eterno poderia ter no seu nome uma terminação tão blasfema para o que é kadosh.

Nos que defendem a blasfêmia, se cumpre a Palavra do Mashyach que diz: "Eles não vêm para a luz, para que suas obras não sejam reprovadas". Yachonan (Jão) 3: 20. Esses, se apegam no poder das curas e lucros carnais, colocando essas coisas como ponto principal da mensagem do reino, e se esquecem que o Mashyach avisou: "Surgirão flasos Mashyas e falsos profetas, operando tão grandes milagres e prodígios que, se fosse possível enganariam até os escolhidos!. Matyahu (Mateus) 24:24.

Cegos teologistas! Dizendo-se sábios tornaram-se loucos. Por isso naquele dia dirão: "Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? E em teu nome nãoexpulsamos demônios? E em teu nome não fizemos muitas maravilhas"? Então ouvirão do Mashyach libertador a dura resposta: "Nunca vos conheci: apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade". Matyahu (Mateus) 7: 22, 23.

O nome do Olam de Yahshorul é YAHUAH. O nome do Mashyach é YAHSHUAH.

YAHUAH: Yah Espírito. ------ Yahshuah: Yah Espírito e carne.

O Filho veio em nome do Pai. Yahshuah: tirando a letra shin = (sh), Yahshuah se tornará Yahuah. Haleluyah! Amen.

Atenciosamente,

Yahoshafat Ben Yaakov.
Comentário de Anselmo Estevan em 4 julho 2013 às 19:15

Quem separa o Pai do Filho o Tanakh (Escritura) do B'rit Hadashah (Nova Aliança) Não ama em Verdade e Espírito!

ESCRITURA Nome que se dá no NT à coleção de livros que os judeus, Jesus e os primeiros cristãos consideravam como a palavra escrita de Deus para o ser humano (2Tm 3.16; Tg 2.8). Esses escritos são chamados hoje de “Antigo Testamento” ou “Escrituras hebraicas”. A palavra “Escritura” chegou a ser usada para designar a Bíblia inteira, incluindo o NT. Jesus viu a si mesmo como o cumprimento das promessas das Escrituras em relação ao Messias (Lc 4.21; Jo 7.38; 20.9; At 1.16).

<!--[if !supportFootnotes]-->[1]<!--[endif]-->

<!--[if !supportFootnotes]-->

<!--[endif]-->

NT Novo Testamento

<!--[if !supportFootnotes]-->[1]<!--[endif]-->Sociedade Bíblica do Brasil: Bíblia De Estudo Almeida Revista E Atualizada. Sociedade Bíblica do Brasil, 1999; 2005

Tanakh (AT). Antiga Aliança:

08451 תורה towrah ou תרה torah
procedente de 3384; DITAT - 910d; n. f.
1) lei, orientação, instrução
1a) instrução, orientação (humana ou divina)
1a1) conjunto de ensino profético
1a2) instrução na era messiânica
1a3) conjunto de orientações ou instruções sacerdotais
1a4) conjunto de orientações legais
1b) lei
1b1) lei da oferta queimada
1b2) referindo-se à lei especial, códigos de lei
1c) costume, hábito
1d) a lei deuteronômica ou mosaica

DITAT DITAT corresponde à obra de R. Laird Harris, Gleason L. Archer Jr. e Bruce K. Waltke, Dicionário Internacional de Teologia do Antigo Testamento (publicado pelas Edições Vida Nova, www.vidanova.com.br). O número que aparece ao lado da sigla DITAT corresponde ao verbete deste dicionário, que pode ser consultado para maior aprofundamento.
Comentário de Anselmo Estevan em 4 julho 2013 às 19:08
OSÉIAS
Comentário de Anselmo Estevan em 4 julho 2013 às 19:08
O profeta e o seu meio
Oséias, filho de Beeri, exerceu a sua atividade profética entre os anos 750 e 730 a.C. aproximadamente, durante os reinados de “Uzias, Jotão, Acaz e Ezequias, reis de Judá, e nos dias de Jeroboão, filho de Joás, rei de Israel” (Os 1.1). Iniciou o seu ministério público pouco depois de Amós, ainda que tenha desempenhado a atividade por muito mais tempo do que este (cf. Os 1.1; Am 1.1) e pregado no mesmo cenário: Israel (cf. Am 7.12), de onde Oséias procedia.
O longo e próspero governo de Jeroboão II (783-743) ainda não havia terminado quando esse profeta começou a sua atividade. Na sua pregação, faz freqüentes alusões à situação política do Reino do Norte. Tais alusões, de difícil interpretação algumas vezes, são, em outros momentos, um anúncio claro do desastre ao qual se encaminhava o país, do inevitável desfecho que lhe sobreviria com a queda de Samaria, arrasada no ano 722 a.C. pelo furor do exército assírio (2Rs 17.1-6). Se o próprio profeta foi ou não testemunha ocular desses acontecimentos trágicos que determinaram o fim da independência política de Israel, o livro não informa.
O livro e a sua mensagem
O livro de Oséias (= Os) é formado por duas seções. A primeira (caps. 1—3) caracteriza-se pela sua unidade temática. A segunda, de conteúdo mais heterogêneo, abrange o restante do livro (caps. 4—14).
A obra de Oséias é apaixonada, cheia de vigor. Neste escrito, mais do que no de qualquer outro profeta, revelam-se intensos e entrelaçados sentimentos de amor e de ira, de esperança e de desilusão. A indiferença de Israel e a sua rebeldia frente às manifestações da paciência e da misericórdia de Deus são expressas em uma linguagem sintética, concisa, feita de frases tão curtas e apressadas, que, às vezes, torna-se obscura e de tradução difícil e incerta.
O começo da mensagem de Oséias é de um extraordinário vigor dramático. A partir da consideração da sua própria vida conjugal e das circunstâncias que a rodeiam, o profeta denuncia a infidelidade de Israel para com o Senhor, que, apesar de tudo, continua considerando-o o seu povo escolhido. Talvez o traço mais notável da pregação seja a sua descrição do relacionamento entre Deus e Israel como um relacionamento de amor e frustração entre marido e mulher. E este também é o núcleo da pregação profética: Israel tem sido infiel a Deus, mas Deus não deixou de amar a Israel.
Do cap. 4 em diante, o profeta descreve a perversão em que se acha atolada a sociedade israelita. Tudo nela está adulterado ou corrompido: o culto, o sacerdócio, a justiça, a moral e a política, e Israel sofrerá as conseqüências do seu desvio. Contudo, ainda há lugar para a esperança, evocada no cap. 11 com palavras comoventes: “o meu povo é inclinado a desviar-se de mim” (v. 7); mesmo assim, “atraí-os com cordas humanas, com laços de amor” (v. 4). Depois, no cap. 14, tendo suplicado: “Volta, ó Israel, para o Senhor, teu Deus” (v. 1), o profeta anuncia: “Curarei a sua infidelidade, eu de mim mesmo os amarei” (v. 4). Ninguém, antes, havia proclamado com tão patética intensidade que é maior a profundidade do amor divino que os abismos do pecado; que, sobre a ira provocada pela ofensa, prevalecem em Deus a compaixão e o perdão.
A luta de Oséias contra a idolatria se desenvolve em um quadro bem definido. Os israelitas haviam sucumbido à tentação de oferecer culto a deuses estranhos, especialmente aos deuses da fertilidade próprios de outros habitantes de Canaã (8.4-14). Eram rituais politeístas nos quais suplicavam ajuda e proteção para os rebanhos e as colheitas, cerimônias idolátricas que Oséias denuncia e combate.
Também são características deste livro o respeito e ainda a veneração com que se refere ao ministério profético, cujas origens remontam a Moisés, pois, por meio dele, Deus “fez subir a Israel do Egito” (12.13). Em Moisés e no ministério profético Oséias vê o principal instrumento de que Deus se serve para fazer-se ouvir por Israel (cf. 6.5; 9.8; 12.10,13).
Quanto a temas de natureza política, Oséias afirma que Israel não deve buscar salvação em alianças com o Egito ou a Assíria (12.1; 14.3; cf. Is 30.1-5); mas tão-somente em Deus.
A profecia de Oséias é, em resumo, um ataque frontal aos pecados cometidos pelo povo, o qual pecou sendo infiel ao Senhor e adorou as imagens de deuses estranhos. Israel tornou-se, assim, merecedor de castigo; contudo, o Senhor não fechou o seu coração, porque continua amando e cuidando dele (2.19-20). O Senhor o levará outra vez ao deserto (2.14), e lhe dará por morada tendas de campanha (12.9), e ali lhe dirá: “Tu és o meu povo!”, e Israel lhe responderá: “Tu és o meu Deus!” (2.23).
Esboço:
1. Primeira parte (1.1—3.5)
a. Título (1.1)
b. Vida conjugal do profeta (1.2—3.5)
2. Segunda parte (4.1—14.9)
a. Infidelidade e castigo de Israel (4.1—13.16)
b. Conversão de Israel e promessas de salvação (14.1-8)
c. Advertência final (14.9)

a.C. antes de Cristo
cf. conferir
caps. capítulos
cap. capítulo
v. versículo
Sociedade Bíblica do Brasil: Bíblia De Estudo Almeida Revista E Atualizada. Sociedade Bíblica do Brasil, 1999; 2005, Os

© 2014   Criado por Planeta Online.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço